Menu
Quinta, 21 de Fevereiro de 2019
Processo criminal
Vereador é acusado de estupro na Capital
Vitima e testemunhas falam por 4 horas

Durou cerca de 4 horas a primeira audiência do processo criminal em que o vereador de Campo Grande, Eduardo Romero (Rede), responde por estupro de um adolescente de 13 anos. Além da vítima e do parlamentar, foram ouvidas duas testemunhas de acusação e três de defesa do vereador.

Eduardo foi o último a deixar a sala de audiência, por volta das 20h35 da noite (5) após prestar depoimento por cerca de 38 minutos. Como o caso segue em segredo de justiça, nenhum dos envolvidos comentou sobre o caso com a reportagem. "A Justiça se pronunciará na hora certa", resumiu o vereador, pouco antes de prestar esclarecimentos.

A audiência estava marcada para começar às 16h30 e, segundo o Campo Grande News apurou, Romero chegou ao Fórum ainda por volta das 13 horas, para fugir do assédio da imprensa. Na chegada, o advogado José Roberto Rodrigues da Rosa, que defende o vereador, limitou-se a dizer que está impedido de falar com a imprensa sobre o caso, assim como Ilton Hashimoto, que atende a família do adolescente.

O processo tramita na 7ª Vara Criminal de Competência Estadual, sob responsabilidade do juiz Marcelo Ivo. O adolescente, hoje com 15 anos, foi o primeiro a prestar depoimento, em uma sala especial, separada e com a presença de psicóloga.

O depoimento do jovem durou cerca de uma hora e, somente depois dele é que as outras testemunhas de acusação começaram a ser ouvidas. A pedido delas, o vereador foi impedido de ouvir os dois depoimentos, mas pode acompanhar audiência com as testemunhas de defesa. Uma delas era de Fátima do Sul, uma de Paranaíba e outra de Campo Grande.

A partir de agora, todas as partes do processo têm até 48 horas, para se manifestarem se querem a realização de novas diligências, cobrar novos depoimentos ou laudos, isso porque nomes de outras pessoas que não prestaram depoimento foram citados. 

Caso não haja necessidade o juiz abre o processo para alegações finais em que cada parte terá até 5 dias para se manifestar sobre o caso.



facebook googleplus pinterest twitter