Menu
Segunda, 22 de Outubro de 2018
eleições 2018
Eleição em Mato Grosso do Sul será decidida no segundo turno
Decisão saiu antes da apuração completa das urnas eletrônicas

Candidatos do PSDB e do PDT voltarão a disputar a preferência dos eleitores(Foto: Divulgação)
A eleição em Mato Grosso do Sul será definida em segundo turno entre o atual governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), e o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT). A definição foi apontada no início da noite deste domingo (7), com a apuração no TRE (Tribunal Regional Eleitoral), após 99% das urnas serem apuradas. A votação também sugere mudanças no Senado: Nelsinho Trad (PTB) e Soraya Thronicke (PSL) aparecem à frente na briga pelas duas vagas.

Reinaldo teve 44,61% dos votos, ou 571.337 no total. Odilon, por sua vez, chegou a 31,67% da preferência dos eleitores, ou 405.606.

Junior Mochi (MDB) somou 11,65% dos votos, ou 149.234. Humberto Amaducci (PT) totalizou 10,16% dos eleitores, ou 130.068 votos. Marcelo Bluma (PV) atingiu 1,28% dos votos (16.420); enquanto João Alfredo (PSOL) chegou a 0,62% (7.962).

De 1.408.519 eleitores, 1.231.839 (87,46%) compareceram as urnas, com 65.671 votos em branco (4,66%) e 11.009 nulos (7,88%). A abstenção foi de 21,21% (379.123). O resultado foi acompanhado por torcida na área de apuração do TRE.

Senado ? A disputa pelo Senado foi a mais movimentada. Se por um lado Nelsinho sempre figurou na apuração como primeiro colocado, a candidata do PSL apontou ascendência conforme os votos foram apurados.

Com 95% das urnas apuradas, Nelsinho tinha 18,44% dos votos (405.673), e Soraya totalizou 16,29% (358.311).

O senador Waldemir Moka apareceu com 15,62% (343.642 votos), à frente de Marcelo Miglioli, com 15,07% (331.563).

Aparecem na sequência da apuração Sergio Harfouche (PSC), com 12,69%; Zeca do PT, com 12,52%; Delcídio do Amaral (PTC), 4,81%; Gilmar da Cruz (PRB), 1,53%; Mário Fonseca (PC do B), 1,28%; Anisio Guató (Psol), 1,18%; e Dorival Betini (PMB), 0,56%. Por pendências na Justiça Eleitoral, os votos de Thiago Freitas (PPL) e Humberto Figueiró (Pode) não foram totalizados.



facebook googleplus pinterest twitter