Sexta, 17 de Novembro de 2017
Defesa entra com requerimento e TRE adia julgamento de Ilda Machado
Advogados de defesa entraram com requerimento na tarde desta terça-feira (25) e TRE adiou o julgamento de Ilda Machado (PR) que aconteceria amanhã, quarta-feira (26). Julgamento foi remarcado para 8 de maio.

Prefeita de Fátima do Sul Ilda Machado ao lado do vice Altair Albuquerque durante entrega de diplomas na Justiça Eleitoral(Foto: Arquivo / SiligaNews)
Temendo que a prefeita Ilda Machado e seu vice Altair Albuquerque, ambos do PR, sejam cassados pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) em Campo Grande, os advogados de defesa entraram com requerimento solicitando mais dez (10) dias para que possam preparar a defesa, com isso, o júri adiou o julgamento que aconteceria nesta quarta-feira (26) e remarcou o mesmo para o próximo dia 8 de maio.

Segundo informações, o requerimento solicitava mais tempo hábil para os advogados apresentarem a defesa de Ilda durante sustentação oral. Isso ocorre depois que a Policia Federal deu parecer sobre um áudio em que a defesa sustentava que o vídeo gravado durante as eleições de 2016, onde Ilda aparece retirando R$ 700 reais do sutiã fazia parte de uma trama orquestrada pelo ex-prefeito Júnior Vasconcelos (PSDB).

Na tarde de ontem, segunda-feira (24), Ilda foi cassada novamente pela juíza eleitoral Rosângela Alves de Lima Fávero, em um novo processo, no qual a candidata teria distribuído remédios a um eleitor em troca de três votos.

Na tarde de ontem ainda, um laudo da Policia Federal revelou que o áudio que a defesa sustentava foi manipulado, desta forma a defesa pediu a retirada do áudio do processo, e apresentou requerimento solicitando mais tempo para poder apresentar a defesa de Ilda Machado e Altair durante a sustentação oral. O requerimento foi acatado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Campo Grande, transferindo o julgamento para o próximo dia 8 de maio.

O áudio em que a policia federal realizou perícia e constatou se tratar de manipulação, é um áudio gravado pelo eleitor que filmou Ilda entregando-lhe dinheiro. O áudio foi gravado durante uma conversa do eleitor com uma outra pessoa, e compartilhado pelo aplicativo Whats App. A defesa tentou usá-lo, porém com o laudo da Policia Federal informando que o mesmo tratava-se de manipulação, a defesa pediu a retirada do áudio do processo, apresentando o requerimento solicitando mais tempo para apresentar a defesa durante a sustentação oral.



facebook googleplus pinterest twitter